Como chegar ao Somos

Por Videomensagens BBI      22/08/2019 13:25:58    
Pergunte a um profissional o que ele gosta na empresa onde trabalha? Em qualquer pesquisa de clima, a resposta que vem primeiro é sempre sobre o ambiente. Os profissionais de RH sabem que a coisa mais importante para a maioria é sentir-se bem no local de trabalho. Para agradar seus grupos, muitas empresas modernas criam salas de descanso, de jogos, além de atividades divertidas como: o dia do pijama, o dia do pet, o dia de levar as crianças... Tudo isso funciona em alguma medida, em especial para aqueles profissionais que estão próximos.  Mas e aqueles que viajam? Ou que trabalham de casa? Hoje em dia é cada vez mais comum o home office. Situação que aumenta o desafio das empresas para gerar proximidade em seus quadros.
Outra coisa que os colaboradores sempre mencionam nas pesquisas de clima interno são os benefícios. E quem lida com recursos humanos sabe o quanto esse assunto é delicado. Os planos de saúde são valorizados, mas precisam ser administrados com rigor em função dos custos. Já o vale refeição, em muitos setores é comparado com o de outras empresas do mesmo segmento ou região, passando a ser um elemento de reivindicação.
Nos dias de hoje, a gestão e benefícios envolve complexidades, pois deixa de ser um fator de satisfação para tornar-se, muito frequentemente, um elemento comum de insatisfação entre os colaboradores.
O que menos aparece nas pesquisas de clima é aquilo que, para a empresa, deveria ser o mais importante: a identificação com a marca.
Não estamos falando de admiração ou reconhecimento. Isso normalmente é manifestado pelos profissionais nas pesquisas de clima: a empresa é grande, é forte, é poderosa etc...
O que chama a atenção é que ninguém, ou quase ninguém, fala na primeira pessoa quando se refere à empresa onde trabalha. É muito raro ver alguém dizer: “somos”.
Quem diz “somos” para se referir à empresa onde trabalha se sente, realmente, parte de algo. E o “Fazer parte” faz toda a diferença na hora de encarar desafios, vencer competitividades e alcançar resultados.
Toda empresa deve construir o seu caminho para chegar ao “somos.
Não existe fórmula. A empresa grande e conhecida pode até ser admirada. Mas o ambiente corporativo de empresas multinacionais pode reforçar o distanciamento ao invés de gerar aproximação. Ser uma empresa menor também não é, em si, qualquer vantagem. É a forma como as empresas lidam com seus quadros que irá criar as condições para chegar ao “somos”.
O primeiro e mais importante passo é querer alcançar esse objetivo. Querer que empresa e profissionais estejam todos do mesmo lado é fundamental, pois a consciência do desafio a ser superado é essencial em qualquer mudança desejada. 
Aprender a ouvir ativamente os colaboradores também faz parte dessa jornada. E os profissionais de RH sabem como ninguém o quanto é importante criar uma interlocução regular e positiva com eles. Infelizmente, nem todos contam com os recursos ou mesmo, com a autonomia necessária para chegar a esse objetivo.
Manter um discurso positivo, gentil e motivador também pode ser um elemento poderoso de sensibilização. Mensagens positivas ajudam a tirar o profissional daquele estado meio letárgico que o dia a dia nos impõe. Fazer isso com regularidade tem o poder de criar aproximação e simpatia pela marca.
Finalmente, é importante ter indicadores que mostrem se estamos ou não chegando lá.
Chegar ao “somos” é, enfim, um dos principais objetivos do Internal Branding. É preciso que a empresa entenda que sua equipe faz parte dela, para que cada profissional corresponda com o tão desejado “somos”. Chegar nesse ponto é saber que todos estão legitimamente engajados com o propósito da marca e prontos para defende-la diante de qualquer audiência.

Solange Capozzi, Grupo BBI